quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Into The Wild


Posso com toda a certeza afirmar que é um dos melhores filmes que já vi, em todos os aspectos. Do início ao fim, a sua história envolve-nos de tal maneira, que não dá para não nos afeiçoarmos pelo rapaz que só sonha em estar em plena comunhão com a natureza. É uma história fascinante, que ainda se torna mais encantadora por ser verdadeira. Todo o filme gira em torno da busca da verdade, da beleza natural das coisas, de uma busca incansável por uma vida sem bens materiais. Ser completamente livre, viver daquilo que a natureza nos oferece. Em termos de fotografia, o filme está excelente, lindíssimo! Claro que sendo filmado onde foi, não será difícil captar toda a beleza dos locais, mas Sean Penn demonstra uma sensibilidade fascinante na captação de imagens realmente deslumbrantes!
Digo-vos que saí do cinema com um gigante nó na garganta, só me apetecia chorar, chorar, chorar, chorar.... Meu Deus, que filme bestial! Ontem fui a correr comprar o livro, porque sinto a necessidade de perceber a fundo o que se passou na cabeça deste rapaz... E até agora estou a adorar!
Fica aqui a promessa: um dia destes hei-de visitar aquele autocarro 142 (para quem quiser perceber, que veja o filme...). É uma história verdadeiramente inspiradora. Fiquei esmagada!
Em relação ao actor principal, Emile Hirsch, faz um papel de GIGANTE. Gostei mesmo muito da sua interpretação, parece que ele se entregou de corpo e alma a esta personagem... Muito bom.

ADENDA: Pois é, que falha!! Falta-me falar da MAGNÍFICA, ESTRONDOSA E FABULOSA banda sonora! Feita inteiramente pelo DEUS, Eddie Vedder! Já a conhecia há uns meses e encaixa perfeitamente no filme! Os que falam mal deste Senhor, devem pois, engolir em seco e vergar-se perante esta obra prima feita pelas mãos de um músico genial! E não, não estou a exagerar!

7 comentários:

Suz disse...

Agora estou *doida* para ver este filme!
:)

Piri disse...

Epá, não me digas que estavas no colombo ontem à tarde a ver este filme?! Andamos desencontrados, hehehe.
Que magnífico filme, não é nada difícil sair com esse nó que falas pois a história é de uma carga psicológica brutal. Apesar de entender até um certo ponto o desejo de libertação, a vontade de rasgar com um passado e com uma vida que lhe foi imposta e cujo papel ele desempenhou na perfeição durante 22 anos (se não estou enganado), não consigo mesmo perceber o passo que vai desde esse desejo, essa intenção até à concretização tão radical dessa mudança de vida.
Se há filme imperdível é este, (e se possível não vejam com um artista no cinema a repetir todas as falas em voz alta para toda a sala ouvir durante a primeira parte, sim porque o filme teve intervalo) talvez muitos jovens e os seus pais deveriam ver este filme em conjunto e depois discuti-lo bem...
Agora acho que fui eu a exceder a quota de comentário neste blog, hehehe.

Piri disse...

P.S. Estou pasmado por não teres referido a banda sonora ;) que diga-se, está na minha opinião perfeita. (apesar de ter passado o filme a melgar o Tiago...) Graças a ele tenho a banda sonora no meu pc há uns meses e se calhar agora até vou ouvi-la...

Panuci disse...

Epah a banda sonora é DIVINAL! Tenho dito.

Nicolau disse...

já me fazes gastar 2€ para ir ao cinema, pronto, estou tramado! :D

Nicolau disse...

Epah! que filme brutal! e banda sonora realmente! Extasiado! Vou seguir as proximas sugestões de filmes! nao tenham dúvidas.

gostei mesmo!

Panuci disse...

Nicolau eu bem avisei!! Um filme marcante!