sexta-feira, 20 de junho de 2008

Euro 2008 - importância excessiva

Faço este post para demonstrar o meu desagrado à excessiva importância dada ao futebol, nomeadamente ao Euro 2008 e tudo o que lhe diz respeito.
Deixo-vos aqui uma notícia (Ó por favor!) que li hoje no site do Expresso:

"Homem esfaqueou três pessoas no final do jogo"

"Mal disposto com a derrota de Portugal, um homem de 59 anos esfaqueou três pessoas que se encontravam na Praça General Humberto Delgado, junto à Câmara do Porto. "


Eu não acho isto nada normal, a importância que as pessoas atribuem ao futebol. É de mais! A forma excessiva como algumas pessoas vivem o futebol. Por vezes atribuem mais importância ao futebol do que propriamente às suas vidas, famílias e trabalho.

Mais uma vez ontem observei muitas pessoas colocarem as suas vidas em modo pause para assistirem ao jogo Portugal-Alemanha. Não me cabe na cabeça este cenário! E pior... assisti (bem de perto) à má disposição de uns devido à derrota da nossa selecção - isto sim, é um cenário que me deixa mesmo indignada!

Enfim...

18 comentários:

topera disse...

Para nao variar, nao é que tens razão...é mesmo caso para dizer ...ó por favor...nao ha paciencia!!! Mas acho que muitas pessaos dao essa importancia ao futebol, porque praticamente nao têm vida, basicamente é isso!!
O.K. eu admito eu vi o jogo como é obvio e ate gosto bastante de futebol!!! Mas assim que acaba o jogo a vida continua...como por exemplo o caso de ontem, em que portugal perdeu, (infelizmente)...quaquer coisa que houvessa para fazer a seguir era melhor que assistir repetidamente ao nosso "morrer na praia"!!! e quem fala assim nao gagueja!!! beijokasssss e deixo aqui um conselho, "Aproveita o intervalo do jogo para viver a vida!!!"...autoria "topera" hahahahahahaha

Panuci disse...

Noninhas, discordo em alguns aspectos. Eu adoro ver Futebol por exemplo e sim, já pus muitas vezes a minha visa em modo pause pelo futebol. E não me arrependo! Porquê? É uma coisa que me dá prazer fazer, com os amigos, pq acaba sempre por ser uma oportunidade de convívio nos tempos que correm! Concordo ctg quando dizes que há quem viva estas coisas excessivamente, caso do homem que ontem esfaqueou pessoas dps do jogo, mas convenhamos, ele tb já n devia ser bom da cabeça, perdermos o jogo de ontem foi uma desculpa... É normal ficarmos mal dispostos dps da nossa equipa perder (eu sou do SCP, sei bem o que é lidar com estas desgraças lol), acho que não é nada condenável! Só que dps do jogo acabar, n vou ficar a matutar. Já está, pronto, fica prá próxima! Mas respeito a tua opinião! Cada um é como cada qual!

Suz disse...

Panuci, eu até ia dizer qualquer coisa como "Ah! Vês?! Ainda bem que admites que estás habituada a lidar com desgraças! Eh eh!", mas de repente dei-me conta que ultimamente não posso falar muito.......


;P

PrimusBaro disse...

O futebol a esta escala é uma mais valia para quem?
Que é que trás de positiva a cada um?
(excepcione-se, claro, o jogadores e dirigentes desportivos...)

Não, não sou adepto fervoroso de futebol. De futebol ou de qualquer outro desporto. tambem não quer isto dizer que não perca por vezes algum tempo a ver um jogo ou uma prova.

Agora sair por aí "à xinada" ao pessoal porque o Nuno Gomes é um lorpa ou porque o RIcardo é um frango.. citando: "não há paciência"!!!

Entrar em discussões que se tornam agrestes por vezes, pôr a minha vida em pause (outra "citadela") ou alterar a minha rotina por causa de um jogo de bola?

Não me parece...

Sei que há por aqui alguem que se vai assanhar com esta minha opinião (que vale o que vale...) mas volto á carga: o que é que cada um de nós ganha com isto? Orgulho de sermos portugueses? Ahahaha!
Como é sabido os único que ganham com isto são os supra citado no primeiro parágrafo, e somente eles! Abundatemente!!

ou esqueceram-se que estes personagem além de ganharem quase tanto como o PIB (vocÊs percebem...) ainda têm um regime fiscal de excepção? Sem contar com todas as benesses inerentes a serem atletas de alta competição?!

Nós, ou vós, os tolinhos que ficam todos febris com jogos da bolas, é que dão a importância excessiva a este Euro de surpresas.

Será de mim ou já toda a gente está de olhos no governo e nas medidas politicas outra vez?
...pois, Portugal foi eliminado, "de bola", "pr'ó lixo".
Para aqueles que estavam distraídos...

Panuci disse...

Primus, são gostos. Eu n me importo de ficar 2 horas agarrada a ver um jogo do Sporting ou da Selecção, mas dps do jogo acabar, vou à minha vida, seja o resultado bom ou não, n sou fanática, nem fico a chorar a 1 canto! Td bem q são eles q ganham os milhões, mas do meu ponto de vista, é uma maneira de estar entretida com os meus amigos, a beber umas bujecas e a mandar umas larachas! É uma forma de entretenimento como outra qlq. O q ganho com isso, peguntas tu? Ganho 2 horas (ou 1h30 vá...) de diversão, ao pé de pessoal meu amigo! Mas lá está, são pontos de vista e eu respeito as pessoas que, como tu, acham q n merece a pena perder tempo com o futebol ou desporto em geral! Eu adoro e n troco uma jogatana valente por nada (seja futebol, voley, basket....)! =)

PrimusBaro disse...

Parece que a mensagem não passou...

A questão é a improtância excessiva que se está a dar ao Euro, não o facto de eu achar perca de tempo praticar desporto ou (pior ainda!) estar na galhofeira com os manos, a emborcar umas mines e a chamar nomes ao árbitro, just because! ;)

Mas como sempre, as opiniões são como os traseiros: cada um tem um e quem quiser dá-lo, dá!

Por isso... será melhor não opinar?... :)

Panuci disse...

Sim, a msg passou e podes opinar à vontade! Não vamos é continuar a chover no molhado.

José Leal disse...

Esta é uma daquelas discussões à antiga.

Pá, a importância que se dá é semelhante à de qualquer evento mediático que é visionado por audiências acumuladas de mais de mil milhões de pessoas.

O que podemos nós fazer se as televisões olham este evento como a possibilidade de encher horas de emissão com produções de low-budget?

E claro, que fazer se não aproveitam para veicular mensagens com o melhor que o desporto?

E como não podemos deixar de referir, tudo parte das expectativas criadas, e o nível de experiência de cada um nestas andanças para gerir as expectativas.

Agora, deduzo que quem vê e acompanhe os jogos tenha prazer nisso (assim um pouco como os fumadores que não devem ser parvos).

Não compreendo muito bem o que é que o vencimento dos jogadores ou as mais-valias que podemos retirar do evento tenham que haver com o assunto.

PrimusBaro disse...

Segue a linha do raciocínio, tens de ler isso contextualizado e não como um declaração isolada, senão parece efectivamente que não tem nada a ver com o assunto!...

José Leal disse...

Primusbaro,

Claro que devemos contextualizar.

Mas essencialmente tudo se resume a alguns factores:

i) a relação da sociedade com o lazer e o trabalho tem vindo a evoluir. Se antes as férias foram criadas para descansar do trabalho (sim no princípio do seculo passado nem férias haviam), hoje o trabalho existe para pagar as férias basicamente.

O lazer passou a ser prioritário relativamente ao trabalho. Muitas mudanças concorreram para que isto acontecesse (laborais, tecnológicas, discurso, ensino, etc).

ii)A excessiva emotividade prende-se com a natureza do "espectáculo" que é na realidade um jogo, com resultado incerto no início.

Mas é o mesmo mediatismo que leva a sic radical a passar horas de emissão do Rock in Rio, e das outras emissões especiais.

Tens uma sociedade baseada na valorização do tempo de lazer; uma coisa que ocupa o teu tempo e que dá emotividade; tens um meio de comunicação que satisfaz tudo isto; qual a surpresa?

PrimusBaro disse...

Surpresa?
Nenhuma. Infelizmente...

O Zé Povinho é pequenino e mima-se com tudo e com nada e quando não há "mimos" só sabe dizer mal, fazer manifestações, bloqueios, etc..
S'é que me entendes!

Portanto, viva o lazer e a emotividade direccionada!!
Viva o Euro, viva Portugal.

Eh pá.. Portgal não que foi elimindao pelos gajos de 2 metros...
;)

Suz disse...

Que tertúlia animada!

Na minha humilde opinião, que vale o que vale, acho que cada um ocupa o seu tempo livre da maneira que entender.

Hoje temos tanta variedade de ocupações, assim como de meios de divulgação das mesmas, que acredito ser possível seleccionar e usufruir apenas do que nos dá prazer.

Há pouco mais de 20 anos atrás tinhamos 2 canais de televisão com uma linha de programação monótona, onde os pontos altos da mesma eram fado, futebol e Fátima.
Ah, e tourada também.

Hoje há tanta coisa! Canais de televisão diversificados, alguns temáticos, temos internet, temos cinemas, temos livros! Desde sempre os tivemos! Isto são só meros exemplos.

É possível passar ao lado do Euro, como de outra coisa qualquer.
Não interessa a importância que os outros dão às coisas, mas a importância que nós damos.

Cada um que faça e veja o que gosta, que se emocione com isso, é livre para tal, desde que não interfira com a liberdade dos outros.

Claro que andar às facadas é interferir com a liberdade dos outros!
Mas para isso existem leis para manter a ordem social e sancionar quem a desrespeita.
O futebol foi apenas uma desculpa neste caso.
Podia ter ocorrido numa discoteca, numa concentração de entusiastas de tractores, ou na colectividade das bordadeiras de Arraiolos.

Live and let live, that's my motto.

PrimusBaro disse...

Haveria de ser engraçado... as bordadeiras às agulhadas umas às outras por causa da marca da fiação que cada uma usasse!..

Que quadro seria!

E eu ainda me lembro vagamente de ver os bonecos a preto e branco.
Quem diz os bonecos, diz as touradas (que não aprecio hoje em dia por uma questão de direitos dos animais), diz a bola ou mesmo o Tv Rural, com o saudoso Engº Sousa Veloso e o seu mote de despedida "Despeço-me com amizade...).

Off-topic!

Time flyes when you're having fun.. or not!

Noninhas disse...

Meus amigos, vejamos: a razão do meu post prende-se com o facto de me fazer confusão a importância excessiva que algumas pessoas dão ao futebol. Determinadas pessoas levam mais a sério o futebol do que propriamente as suas vidas.

Talvez sejam pessoas com uma vida desinteressante ou simplesmente porque sim. (não sei)

Óbvio que não me faz confusão as pessoas assistirem aos jogos de futebol e vibrarem. Ainda menos confusão me faz alguns adeptos aproveitarem o pretexto do futebol para organizarem petiscos e conviverem (eu adoro petiscos e o combíbio!).

O que me faz alguma confusão é a importância atribuída ao futebol e por vezes encararem este acontecimento como um caso de vida ou morte!

Fiz-me entender?

José Leal disse...

suz,

tens razão em tudo aquilo que dizes.

O fenómeno que agora acontece deve-se à quantidade tempo livre que temos hoje em dia.

Como em tudo na vida são criadas hierarquias para legitimar o modo como gastamos o nosso tempo de lazer.

Algo que me faz bastante impressão é o que se passa com os miudos de hoje em dia. Quantos pais acham legítimo os filhos ocuparem o tempo livre a brincar na rua? Poucos.

A maioria tende a arranjar a música, a aulas de ballet, os patins em linha, etc. Tudo previamente definido de modo a valorizar o tempo livre e legitimar a nossa posição social.

Daí por vezes este confronto entre o tempo livre produtivo e o não produtivo.

Levar a miuda ao parque para andar de patins todos os domingos, ou permitir que ela possa de quando em vez fazer um serão a ver os filmes da tarde.

Pronto já me desviei da conversa e peço desculpa por ter derivado para outros aspectos.

Mas a verdade é que estão ligados.

É impossível fugirmos à sociedade do lazer, estamos formatados desta forma.

Depois como cada um faz a sua vidinha é outra conversa. Mas estes fenomenos de massas existirão sempre.

José Leal disse...

Noninhas,

Sim é claro.

Tal como por exemplo com algumas bandas musicais, alguns extremos não se justificam.

Noninhas disse...

Nem mais!

PrimusBaro disse...

Eeeechhh...

Patrão mánda..
Tá percebido.

Q'a medo!